Personal Dog

Oi geeks! A caminhada é a solução mais prática para quem quer fazer exercícios físicos sem gastar muito dinheiro: com roupas adequadas e um par de tênis poderoso você já pode queimar calorias por aí. E é nesse momento que ter alguém para dar aquele incentivo ou até mesmo para fazer companhia durante a caminhada faz toda a diferença. Se você já está pensando em usar a incompatibilidade de horários com sua amiga, mãe ou namorado como desculpa, esqueça: o seu incentivo durante a atividade física pode ser o seu cãozinho de estimação. Confiram algumas dicas:

Checkup animal

Antes de começar a praticar exercícios, é sempre bom fazer uma visitinha ao médico para ter certeza de que a sua saúde está 100%. Com os cães, o esquema tem que ser o mesmo: antes de transformar seu cachorro em um animal de companhia, é importante fazer um checkup. “Para animais adultos ou idosos que nunca fizeram atividades físicas ou que tenham alguma doença crônica, como diabetes ou problemas cardíacos, recomenda-se a realização de exames”, aconselha o veterinário Leonardo Brandão. As vacinas também têm que estar em dia, afinal, elas ajudam a garantir uma saúde perfeita.

Cuidados básicos

Idade ideal
Não existe idade mínima para que seu cão se torne um animal de companhia. “Assim que ele acabar de tomar as vacinas de filhote, pode sair para participar de atividades físicas”, explica Brandão. Já os animais mais velhos precisam de atenção especial, sim, mas isso não quer dizer que eles devam deixar de praticar exercícios. “Não existe limite de idade. Enquanto o animal estiver saudável e se mostrar apto à atividade física, ele pode continuar”, diz o veterinário.

Tempo de duração
O tempo de duração ideal para uma caminhada depende de cada cão e seu condicionamento físico, além da temperatura ambiente. “Os mais velhos, acima do peso ou que ainda estão começando devem caminhar durante 10 ou 15 minutos”, explica o Brandão. Mais uma vez, é importante prestar atenção aos limites do seu cachorro. “Invariavelmente o cão vai acompanhar o dono mesmo que não esteja mais aguentando. Por isso, é fundamental sempre avaliar o condicionamento do animal e, se ele estiver muito cansado, fazer paradas periódicas”, aconselha Macellaro.

O horário certo
Sol demais e altas temperaturas durante a caminhada fazem mal tanto para você, quanto para o seu cãozinho. Por isso, o horário ideal para a atividade física diária é até às 10 horas ou após às 16 horas. Dessa forma, você evita os horários mais quentes do dia e fica longe de um quadro de desidratação. Outra dica importante é que os cães não devem praticar exercícios físicos logo após as refeições ou depois de beber muita água. “O ideal é dar um intervalo de aproximadamente uma ou duas horas”, alerta o Dr. Macellaro.

Benefícios da caminhada
Que a caminhada é um exercício poderoso, capaz de secar a barriga, a gente já sabe. No entanto, quando praticada pelos animais, as atividades físicas também trazem benefícios como redução de peso, diminuição de estresse e ansiedade, tonificação muscular e até melhora na capacidade cárdiopulmonar. “Esses benefícios são importantes para animais que sofrem de doenças comuns da idade avançada, como artrose e diabetes”, explica Brandão.

Hidratação e proteção solar
Manter o organismo hidratado durante a atividade física é uma regra que vale também para os cães. “É fundamental hidratar o animal durante o treinamento, em intervalos que vão de acordo com a necessidade de cada um. A dosagem de água nesses momentos deve ser mais baixa”, ensina Macellaro. De acordo com o veterinário, existem até garrafinhas feitas especialmente para transportar água para os cães durante a caminhada.

Além da hidratação, é importante também manter o animal protegido do sol. “Nos cachorros de pele branca e mucosas rosadas é preciso passar protetor solar sempre. Também é necessário tomar cuidado para que o piso ou asfalto quentes demais não queimem os coxims plantares (as almofadinhas dos dedos) do animal”, alerta o Macellaro.

Cuide bem do seu companheiro
Por mais dócil que seja o seu cão, nunca deixe de usar a coleira para evitar confusões na rua. De acordo com Macellaro, as coleiras mais indicadas são as longas, que dão mais liberdade ao animal. A dica do Brandão para que a caminhada seja ainda mais agradável é deixar que o cão conduza o ritmo do exercício, nunca o contrário. “Não se deve arrastar o animal para que caminhe como o proprietário quer”, aconselha.

Então, que tal deixar a preguiça de lado e começar logo a praticar uma boa caminhada com a companhia de seu animal de estimação? 😉

Fonte: Boa Forma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s