Personal Dog

Oi geeks! A caminhada é a solução mais prática para quem quer fazer exercícios físicos sem gastar muito dinheiro: com roupas adequadas e um par de tênis poderoso você já pode queimar calorias por aí. E é nesse momento que ter alguém para dar aquele incentivo ou até mesmo para fazer companhia durante a caminhada faz toda a diferença. Se você já está pensando em usar a incompatibilidade de horários com sua amiga, mãe ou namorado como desculpa, esqueça: o seu incentivo durante a atividade física pode ser o seu cãozinho de estimação. Confiram algumas dicas:

Checkup animal

Antes de começar a praticar exercícios, é sempre bom fazer uma visitinha ao médico para ter certeza de que a sua saúde está 100%. Com os cães, o esquema tem que ser o mesmo: antes de transformar seu cachorro em um animal de companhia, é importante fazer um checkup. “Para animais adultos ou idosos que nunca fizeram atividades físicas ou que tenham alguma doença crônica, como diabetes ou problemas cardíacos, recomenda-se a realização de exames”, aconselha o veterinário Leonardo Brandão. As vacinas também têm que estar em dia, afinal, elas ajudam a garantir uma saúde perfeita.

Cuidados básicos

Idade ideal
Não existe idade mínima para que seu cão se torne um animal de companhia. “Assim que ele acabar de tomar as vacinas de filhote, pode sair para participar de atividades físicas”, explica Brandão. Já os animais mais velhos precisam de atenção especial, sim, mas isso não quer dizer que eles devam deixar de praticar exercícios. “Não existe limite de idade. Enquanto o animal estiver saudável e se mostrar apto à atividade física, ele pode continuar”, diz o veterinário.

Tempo de duração
O tempo de duração ideal para uma caminhada depende de cada cão e seu condicionamento físico, além da temperatura ambiente. “Os mais velhos, acima do peso ou que ainda estão começando devem caminhar durante 10 ou 15 minutos”, explica o Brandão. Mais uma vez, é importante prestar atenção aos limites do seu cachorro. “Invariavelmente o cão vai acompanhar o dono mesmo que não esteja mais aguentando. Por isso, é fundamental sempre avaliar o condicionamento do animal e, se ele estiver muito cansado, fazer paradas periódicas”, aconselha Macellaro.

O horário certo
Sol demais e altas temperaturas durante a caminhada fazem mal tanto para você, quanto para o seu cãozinho. Por isso, o horário ideal para a atividade física diária é até às 10 horas ou após às 16 horas. Dessa forma, você evita os horários mais quentes do dia e fica longe de um quadro de desidratação. Outra dica importante é que os cães não devem praticar exercícios físicos logo após as refeições ou depois de beber muita água. “O ideal é dar um intervalo de aproximadamente uma ou duas horas”, alerta o Dr. Macellaro.

Benefícios da caminhada
Que a caminhada é um exercício poderoso, capaz de secar a barriga, a gente já sabe. No entanto, quando praticada pelos animais, as atividades físicas também trazem benefícios como redução de peso, diminuição de estresse e ansiedade, tonificação muscular e até melhora na capacidade cárdiopulmonar. “Esses benefícios são importantes para animais que sofrem de doenças comuns da idade avançada, como artrose e diabetes”, explica Brandão.

Hidratação e proteção solar
Manter o organismo hidratado durante a atividade física é uma regra que vale também para os cães. “É fundamental hidratar o animal durante o treinamento, em intervalos que vão de acordo com a necessidade de cada um. A dosagem de água nesses momentos deve ser mais baixa”, ensina Macellaro. De acordo com o veterinário, existem até garrafinhas feitas especialmente para transportar água para os cães durante a caminhada.

Além da hidratação, é importante também manter o animal protegido do sol. “Nos cachorros de pele branca e mucosas rosadas é preciso passar protetor solar sempre. Também é necessário tomar cuidado para que o piso ou asfalto quentes demais não queimem os coxims plantares (as almofadinhas dos dedos) do animal”, alerta o Macellaro.

Cuide bem do seu companheiro
Por mais dócil que seja o seu cão, nunca deixe de usar a coleira para evitar confusões na rua. De acordo com Macellaro, as coleiras mais indicadas são as longas, que dão mais liberdade ao animal. A dica do Brandão para que a caminhada seja ainda mais agradável é deixar que o cão conduza o ritmo do exercício, nunca o contrário. “Não se deve arrastar o animal para que caminhe como o proprietário quer”, aconselha.

Então, que tal deixar a preguiça de lado e começar logo a praticar uma boa caminhada com a companhia de seu animal de estimação? 😉

Fonte: Boa Forma.

Saiba se alimentar antes e depois da malhação

Corrida e musculação, de segunda a sexta, durante um ano e meio. Mas os três últimos quilinhos extras continuavam ali, intocáveis. E olha que Isabel Villela, 31 anos, maneirava no garfo. “Queria perder as gordurinhas acumuladas no abdômen e deixar os músculos em evidência”, conta a administradora de website. Essa história só teve um final feliz quando ela foi orientada por uma nutricionista a mudar o hábito de ir para a academia com mais de quatro horas de jejum. “Passei a comer um lanche leve — suco, torrada ou biscoito salgado —, uma hora antes do treino. Foi o suficiente para me sentir mais disposta. Isso melhorou minha performance e acelerou meu metabolismo. Em dois meses, finalmente, vi minha barriga secar”, comemora.

O exemplo de Isabel mostra que um lanchinho pré-treino pode ser o detalhe que falta para você perder mais rápido as dobrinhas que estão sobrando e ganhar músculos. “Sem glicogênio (a energia vinda dos carboidratos), o corpo tem mais dificuldade de queimar gordura. Pior, rouba proteína da massa magra para usar como combustível. E aí lá se vai o músculo e a gordura fica”, diz Cibele Crispim, da RGNutri Consultoria Nutricional, em São Paulo (SP). Além disso, existe o risco de hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue), que provoca tontura e até desmaio. Mas não é qualquer alimento que resolve. Dependendo do intervalo que você tem entre comer e treinar, deve priorizar alguns nutrientes e dispensar outros, buscando melhorar o rendimento. “Até uma hora e meia antes do treino, coma proteína (ovo, atum, peito de peru), importante para a recuperação e a manutenção dos músculos, e carboidrato (pães e biscoitos integrais e frutas), que faz com que o organismo consuma açúcares e gordura durante o exercício”, explica Alessandra Caviglia, nutricionista da Companhia Athletica, em São Paulo.

Só dá para você comer uma hora antes do exercício? Então fique apenas com o carboidrato e dispense a proteína. Caso esse intervalo seja ainda menor (de 40 a 30 minutos) prefira biscoitos e pães refinados — eles ficam menos tempo no estômago e garantem a energia necessária para malhar. “A proteína tem uma digestão mais demorada e, ingerida perto da aula, pode causar mal-estar, atrapalhando o desempenho”, diz Cibele. É por isso que aquele inocente iogurte consumido no caminho da academia parece brincar de vaivém durante a aula.

Porém, terminado o treino, a proteína volta a ser bem-vinda. “O ideal é consumi-la na primeira hora após a aula, quando as fibras musculares, que sofreram microlesões durante o exercício, começam a se regenerar”, diz Cibele. Uma nova dose de carboidrato também é fundamental. “Ele vai ajudar o corpo a se recuperar do desgaste, poupando novamente o músculo”, completa a nutricionista, que, a seguir, recomenda vários lanchinhos para você comer antes e depois de malhar e — como Isabel (a administradora de website) — melhorar a performance e o resultado no seu corpo.

Barriga cheia pesa

Se você costuma se exercitar após o almoço ou o jantar, faça uma refeição leve e espere no mínimo duas horas. “É importante que o tempo entre comer e treinar seja suficiente para o alimento ser digerido e absorvido, evitando desconforto e garantindo reservas de glicogênio para os músculos”, explica Antonio Herbert Lancha Júnior, professor de nutrição da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo. Ou seja, se você fizer uma refeição equilibrada em carboidrato, proteína e gordura de boa qualidade, vai ter combustível suficiente para malhar. O lanchinho pré-treino só será necessário se você estiver mais de 4 horas sem comer. Já a água é importante a qualquer momento — antes, durante e depois do exercício — para hidratar o corpo e manter a temperatura equilibrada.

2 horas de malhação

Sempre que você emendar os exercícios aeróbicos aos de musculação, ultrapassando duas horas de treino, faça um pequeno lanche entre uma atividade e outra. “Depois de uma hora malhando, os estoques de glicogênio baixam drasticamente, comprometendo o rendimento físico e as reservas do músculo. Por isso a necessidade de repor energia no meio do treino”, diz Cibele. Claro que se você pretende perder peso não deve exagerar: 1 banana, 1 biscoito light ou 1 bebida isotônica é o suficiente.

Se quiser, troque…

* 1 iogurte desnatado por 1 pote de coalhada.

* 1 fatia de queijo branco magro por 1 fatia de ricota, 3 col. (sopa) de queijo cottage, 2 col. (sopa) de cream cheese light ou 2 Polenguinhos Light.

* 1 fatia de pão de fôrma light por 1 fatia de pão integral light, 1/2 pão francês, 1 pão sírio pequeno, 2 bisnaguinhas.

* 1 fatia de peito de peru por 1 fatia de blanquet de peru, 4 col. (sopa) de atum conservado em água, 3 fatias de rosbife ou 3 unidades de kani kama.

* 1 fatia de bolo simples por 3 biscoitos de maisena ou 2 biscoitos de leite.

* 3 col. (sopa) de aveia por 2 col. (sopa) de granola ou 2 col. (sopa) de müsli.

Fonte: Boa Forma.

Assuma uma postura de corredora

Oi geeks! Hoje trago para vocês algumas dicas de como assumir uma postura de corredora! 😉

  • Cabeça: Deve ficar alinhada com a coluna, mantendo o queixo paralelo ao chão. Nada de olhar pra baixo, ou para os lados. Aproveite para olhar em frente, mirando o horizonte.
  • Ombros: Devem ficar um pouco para trás, não voltados para frente curvando a coluna, nem para cima tensionando o pescoço.
  • Braços: eles acompanham o movimento com os cotovelos formando um ângulo de 90º graus. O movimento é sincrônico com as pernas da seguinte maneira: quando a  perna direita vai à frente, o braço esquerdo também vai, acompanhando-a. Não deixe os braços largados, soltos ao longo do corpo, pois isso só fará com que você disperdiçe energia à toa.
  • Abdômen: Contraia bem a musculatura da barriguinha, como se quisesse colocar o umbigo nas costas. Assim, a coluna fica numa posição ideal, bem como a postura, com a lombar bem protegida.
  • Pés: sempre que pisar começe a tocar o solo com o calcanhar. E o último contato com o solo deve ser feito pelo hálux (dedão).

Qualquer dúvida deixem um comentário! :D