Salto Alto e as Dores da Beleza: Minimize-as sem sair do salto!

Símbolo da elegância feminina, atualmente, é raro encontrar uma mulher que não seja fã de um belo salto. Agora, que as botas estão em alta então, sair à noite ou mesmo de dia sem estar por cima realmente não dá.
Entretanto, esse querido e indissociável companheiro de nós mulheres, vem sendo estudado a anos e esses estudos mostram que eles podem nos causar muitos problemas. Ao longo do tempo, os saltos muito altos mudam a conformação dos pés, porque alteram a maneira como as mulheres pisam. Ao se equilibrar, a concentração do peso fica restrita aos dedos. Há, ainda, dificuldade na flexão da planta do pé – o que prejudica a circulação e potencializa a tendência a varizes. Além disso, o salto altera a musculatura da perna, tornando os músculos mais curtos na parte traseira e mais longos na frente. Dores no joelho, no arco anterior dos pés, joanetes, calos, tendinites, unhas encravadas e danos à coluna, como lordose, são outros problemas ortopédicos causados pelo salto alto.


Mas, novas pesquisam estão provando que não é bem assim. Em algumas situações os saltos podem até mesmo melhorar a circulação e se alguns cuidados forem tomados não a perigo em usá-los. Uma pesquisa divulgada no início deste ano – realizada durante dois anos pela urologista dra. Maria Cerruto, da Universidade de Verona, com 66 mulheres com menos de 50 anos e que não estavam na menopausa – mostrou que o uso de sapatos com salto de até sete centímetros pode ajudar a relaxar e, ao mesmo tempo, fortalecer os músculos da região pélvica, relacionados ao orgasmo.
Apesar disso, como as controvérsias ainda são grandes, vale algumas dicas para você minimizar as dores da beleza sem sair do salto:
1. Alternar a altura do salto: Se em um dia você usou um salto muito alto, no outro prefira modelos de até quatro centímetros de altura. Isso faz com que a musculatura fique em um estágio intermediário, além de você poder utilizar-se de todas as variações da moda!
2. Modelos alternativos: Compre modelos com o bico e salto quadrado, que oferecem mais estabilidade e conforto. As plataformas – mais indicadas pelos ortopedistas – também são recomendadas porque distribuem melhor o peso por toda a extensão da sola.
3. Massagear os pés: A massagem nos pés, ao final do dia, ajuda a restabelecer a circulação e funciona como uma prevenção a cãibras e dores musculares. Após a massagem, coloque as pernas para cima por alguns minutos.
5. Alongar a panturrillha: Esse hábito reduz o efeito de encurtamento da panturrilha: utilize um degrau para realizar um exercício simples e que ajuda a manter uma boa circulação do sangue no local: coloque metade do pé sobre o degrau e force a outra metade para baixo. Depois, faça movimentos circulares com os pés para o lado esquerdo e direito. Repita a operação nos dois pés, por 10 minutos. E sua panturrilha ficará também muito mais bonita.

Você sabe o que é NEURÓBICA?

Quem foi que disse que o cérebro não precisa de exercícios para se manter ativo? Se o nosso corpo necessita de malhação para ficar sempre em ordem e cheio de disposição, por que com a mente seria diferente?

O cérebro também vai perdendo sua capacidade produtiva ao longo dos anos e, se não for treinado com exercícios, pode falhar. O neurocientista norte-americano, Larry Katz, autor do livro Mantenha seu Cérebro Vivo, criou o que é chamado de neuróbica, ou seja, uma ginástica específica para o cérebro.

“O objetivo da neuróbica é estimular os cinco sentidos por meio de exercícios, fazendo com que você preste mais atenção nas suas ações e então, melhore seu poder de concentração e a sua memória”. “Não se trata de acrescentar novas atividades à sua rotina, mas de fazer de forma diferente o que é realizado diariamente”.

Alguma dicas para você montar seu treino :
-Use o relógio de pulso no braço direito;
-Ande pela casa de trás para frente;
-Vista-se de olhos fechados;
-Leia ou veja fotos de cabeça para baixo concentrando-se em pormenores nos quais nunca tinha reparado;
-Veja as horas num espelho;
-Troque o mouse do computador de lado;
-Escreva ou escove os dentes utilizando a mão esquerda – ou a direita, se for canhoto;
-Quando for trabalhar, utilize um percurso diferente do habitual;

A proposta é mudar o comportamento rotineiro. Tente, faça alguma atividade diferente com seu outro lado do corpo e estimule o seu cérebro. Se você é destro, que tal escrever com a outra mão?

A melhor maneira de manter a memória em dia é cuidar da saúde, por isso é importante evitar cigarro e bebidas alcoólicas, seguir uma dieta equilibrada, praticar exercícios e exercitar o cérebro.

Os 3 principais mitos do abdômen definido

Queridas Geeks, se alguma de vocês já se perguntou por que não consegue ter um abdômen definido, apesar de malhar horas na academia, fazendo muitas séries de abdominais diárias, preste atenção neste post.

O primeiro mito: Quanto mais abdominais melhor!

Isso é uma grande furada! Uma série de abdominais realizada de forma correta, feita numa velocidade lenta que controla não apenas a fase concêntrica do movimento (subida), mas também impõe dificuldade na fase excêntrica (descida), bem como a respiração (expirando na subida e inspirando na descida), não permite que você execute mais que 20 repetições em cada série (o ideal são de 3 a 4 séries). Portanto, de nada adianta fazer 500 ou 1000 abdominais, como alguns famosos divulgam ser a fórmula do abdômen perfeito, pois, se você conseguir realizar tantas repetições, certamente estará fazendo de maneira errada solicitando outros músculos que não são os do abdômen e prejudicando-os, além de concentrar todo o exercício só no abdômen.

O segundo mito: Só abdominais removem a gordura do abdômen!

IMPOSSÍVEL! Somente abdominais, mesmo que executados de maneira correta não farão você ter um abdômen definido. Os abdominais vão ajudar a fortalecer e hipertrofiar o abdômen, mas o resultado disso só aparecerá se a camada de gordura existente à frente da musculatura abdominal for muito pequena, e os abdominais por si só, não são capazes de promover essa redução localizada de gordura (assim como nenhum outro exercício). Por isso, para reduzir essas gordurinhas que atrapalham seu abdômen definido, só mesmo com uma alimentação equilibrada com baixo teor de gordura e realização de exercícios aeróbios (como caminhada, natação, pedalada) que utilizam como principal fonte de energia a gordura.

O terceiro mito: O melhor tipo de abdominal é o mais difícil, em máquinas e com bastante peso!

Desanima só em pensar! Na verdade, o abdominal mais simples, aquele em que você deita no chão com os joelhos flexionados e planta dos pés contra o solo, e sobe o tronco até aprox. 45º e desce devagar sem tocar novamente o solo e sobre de novo, é muito eficiente para tonificar o abdômen, pois o exercício tem a carga do próprio corpo e ainda é dificultado pela ação da gravidade.  Se toda a força for realmente concentrada no abdômen para sua realização, ele será intensamente trabalhado. Diferentemente de quando você trabalha com máquinas e sobrecarga, pois como o peso é muito grande você acaba, inevitavelmente, forçando músculos desnecessários para conseguir executar o movimento e o abdômen acaba por não ser totalmente solicitado, sem contar que controlar o peso do próprio corpo é muito mais difícil que controlar uma máquina com polias que o ajuda a retornar a cada execução.

Quebrado os mitos, agora é só malhar de maneira correta que você conseguirá sim, a definição do tão famoso abdômen!

Para quem quiser saber mais informações sobre saúde e exercícios físicos entrem em meu blog pessoal Saúde em Prática.